Blog do Doutor Jairo Bouer

Arquivo : relaxamento

Composto da maconha, em dose moderada, pode causar ansiedade
Comentários Comente

Jairo Bouer

Quem usa maconha em geral diz que a droga ajuda a relaxar e aliviar o estresse, embora não existam muitos estudos que comprovem esse efeito. Agora, uma pesquisa confirma que uma dose baixa de THC (tetrahidrocanabinol), o principal composto psicoativo da maconha, ajuda a acalmar. Mas uma dose um pouco mais alta, suficiente para causar um “barato” moderado nos usuários, tem o efeito oposto: aumenta a ansiedade.

Os pesquisadores, das universidades norte-americanas de Illinois e de Chicago, recrutaram 42 voluntários saudáveis, de 18 a 40 anos, que já haviam tido experiências com a maconha, mas que não eram usuários diários.

Os participantes foram divididos em três grupos: o primeiro recebeu uma cápsula com 7,5 mg de THC; o segundo, 12,5 mg; e o terceiro recebeu um placebo. Nem os voluntários, nem os pesquisadores sabiam quem havia recebido o quê.

Os integrantes da pesquisa passaram por duas sessões diferentes, com cindo dias de intervalo entre elas. Na primeira, eles foram convidados a se preparar para uma entrevista simulada, de cinco minutos, em que os participantes eram filmados e podiam visualizar seu próprio desempenho. Eles também tiveram que fazer um cálculo matemático utilizado para induzir o estresse.

Nas segunda visita, cada um tinha que falar sobre um livro ou filme favorito por cinco minutos e, depois, fazer um jogo sozinho por mais cinco minutos. Antes, durante e depois das atividades de ambas as sessões, os voluntários tiveram seus níveis de ansiedade avaliados com perguntas. A pressão arterial, a frequência cardíaca e o cortisol (hormônio do estresse) também foram medidos.

Os participantes que receberam 7,5 miligramas de THC relataram menos estresse nos testes do que aqueles que receberam um placebo, e a tensão deles também diminuiu mais rápido. Já os que receberam 12,5 mg de THC antes das duas sessões ficaram com um humor pior, e relataram que as primeiras tarefas eram ameaçadoras antes mesmo de começar os testes. Eles ainda fizeram mais pausas durante a entrevista simulada, em relação ao placebo.

Não houve diferenças significativas na pressão arterial dos três grupos, nem na freqüência cardíaca ou nos níveis de cortisol – antes, durante ou após as tarefas.

Os autores do estudo observam que conseguir aprovação para estudos em humanos com doses controladas de maconha não é fácil, por questões éticas. Mas eles são importantes, uma vez que ainda faltam evidências científicas sobre os efeitos da droga, apesar de o uso recreativo e medicinal serem aprovados em várias localidades.


Ouvir a natureza ajuda mesmo a relaxar, comprova experimento
Comentários Comente

Jairo Bouer

A semana mal começou e você já está cansado e ansioso? Experimente passar o próximo fim de semana em contato com a natureza. Um estudo confirmou que o som de um riacho ou do vento batendo entre as árvores realmente ajuda a relaxar o corpo e a mente em fases de estresse.

Pesquisadores da Faculdade de Medicina Brighton e Sussex, no Reino Unido, conseguiram descobrir como isso acontece, com ajuda de artistas que prepararam audiovisuais com sons da natureza e de ambientes artificiais. Diversas pessoas foram submetidas a exames enquanto eram expostos às simulações.

Com testes para medir alterações na frequência cardíaca e o exame de ressonância magnética, os pesquisadores descobriram que os ruídos afetavam áreas do cérebro que costumam ser ativadas enquanto descansamos de formas diferentes.

Ao ouvir sons naturais, a conectividade cerebral refletia um foco de atenção dirigido para fora. Com sons artificiais, o foco de atenção era dirigido para dentro, assim como acontece em estados de ansiedade, depressão e transtorno de estresse pós-traumático. Os testes também mostraram que o relaxamento corporal era bem maior na simulação de ambientes naturais.

O curioso é que o estado dos participantes interferiu nos resultados. Aqueles que apresentaram maiores níveis de estresse antes de o experimento começar foram os que mais demonstraram relaxamento corporal ao ouvir sons da natureza. Entre os que já estavam relaxados, houve um ligeiro aumento no estresse. Os resultados foram publicados no periódico Nature Scientific Reports.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>