menu
Topo
Blog do Jairo Bouer

Blog do Jairo Bouer

Ir pra cama com ex não é o fim do mundo, sugere pesquisa

Jairo Bouer

20/10/2018 13h27

Crédito: Fotolia

Diz a sabedoria popular que ir para a cama com o(a) ex só atrasa a vida. Quem nunca ouviu que o melhor, depois de um rompimento, é cortar relações e partir para outra? Pois fique sabendo que, se por acaso você cair em tentação, não há motivo para se martirizar. Em primeiro lugar, porque você não é o único(a). Em segundo, porque essas reprises podem não atrapalhar tanto assim sua vida afetiva.

Segundo um estudo publicado no periódico Archives of Sexual Behavior, transar com o ex não impede que a pessoa siga em frente após o término de um relacionamento, mesmo para quem ainda sofre com a separação, garante a autora principal do trabalho, Stephanie Spielmann, da Universidade do Estado do Wayne, nos Estados Unidos.

Para você não achar que é uma pessoa fraca ou orgulho próprio, ela avisa que sair com ex-namorados, ficantes ou maridos/mulheres é algo extremamente comum, em todas as faixas etárias e em todos os tipos de relacionamento.

A equipe de Spielmann realizou dois experimentos. Um deles foi uma análise das experiências diárias relatadas por 113 pessoas que tinham acabado de se separar. Os participantes foram abordados de novo, depois de dois meses, e foram questionados se estavam bem, se tinham tentado ficar com o ex de novo e se ainda se sentiam emocionalmente ligados a eles. A outra pesquisa contou com 372 indivíduos e abordou os mesmos tópicos.

Os pesquisadores descobriram que a maioria dos participantes acabava na cama com o(a) ex, mas que isso não influenciou na forma com que essas pessoas conseguiam superar o fim do relacionamento. E a maioria não ficava mais deprimida ou aflita depois do encontro. Pelo contrário, isso fez com que se sentissem melhor no dia a dia. Para a equipe, a tal da culpa imposta pela sociedade não se justifica.

Estudar o comportamento e as emoções das pessoas após o fim de um relacionamento parece algo banal, mas não é, já que rompimentos podem ter um forte impacto na saúde mental das pessoas.

Ainda que essa pesquisa seja útil para aliviar a culpa, não há ninguém melhor que a sua própria consciência para tomar esse tipo de decisão. Se você percebe que se sente mal depois de encontrar o(a) ex, ou que está perdendo oportunidades interessantes para o seu futuro em troca de algumas horas no passado, é bom fazer um esforço maior para vencer a tentação.

Sobre o autor

Jairo Bouer é médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e bacharel em biologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Fez residência em psiquiatria no Instituto de Psiquiatria da USP. Nos últimos 25 anos tem trabalhado com divulgação científica e comunicação em saúde, sexualidade e comportamento nos principais veículos de mídia impressa, digital, rádios e TVs de todo o país.

Sobre o blog

Neste espaço, Jairo Bouer publica informações atualizadas e opiniões sobre biologia, saúde, sexualidade e comportamento.