menu
Topo
Blog do Jairo Bouer

Blog do Jairo Bouer

Adicionar 1,5 litro de água à rotina pode impedir que a cistite volte

Jairo Bouer

01/10/2018 23h08

Crédito: Fotolia

Para muitas mulheres, cistites, ou infecções na bexiga, são um tormento que se repete com frequência. Se é o seu caso, é bom levar a hidratação a sério. Um estudo mostra que adicionar 1,5 litro de água ao volume diário de líquidos pode reduzir em 48% o risco de ter um novo episódio algum tempo depois.

Mais de um quarto das mulheres com cistite têm uma infecção secundária seis meses do primeiro episódio, e cerca de 50%, depois de um ano. Esses quadros, marcados por muito ardor ao urinar, dor no baixo ventre, fraqueza e, às vezes, sangue na urina, quase sempre são causados por bactérias. Boa parte das vezes, o vilão é um micro-organismo que vive no intestino, mas que não é bem-vindo na uretra. Por uma questão anatômica, as mulheres são mais propensas a se contaminar.

O estudo, publicado pela revista da Associação Médica Americana, Jama Internal Medicine, foi feito no Centro Médico UT Southwestern, nos Estados Unidos, e contou com 140 mulheres que ainda não tinham chegado à menopausa e tinham episódios frequentes de cistite.

As participantes consumiam menos que 1,5 litro de líquidos ao dia. Metade delas manteve sua rotina, enquanto as outras foram orientadas a acrescentar mais quatro a seis copos de água ao volume que costumavam ingerir. Todas foram acompanhadas durante um ano.

O grupo que bebia menos água teve, ao todo, 216 episódios em 12 meses, quase o dobro do registrado entre as mulheres que aumentaram a ingestão. Também no primeiro grupo, 88% das participantes tiveram três ou mais infecções durante o ano. No outro, 93% tiveram só uma ou duas.

O número de tratamentos com antibiótico também foi o dobro entre as mulheres que não aumentaram a ingestão de líquidos. Esse é um dos dados de maior destaque no artigo, já que o uso frequente desses medicamentos aumenta o risco de micro-organismos resistentes, que dificultam ainda mais o controle das infecções.

Além de beber mais líquidos, outras dicas ajudam a reduzir a ocorrência de cistites: fazer xixi antes e depois das relações sexuais, dar preferência a calcinhas de algodão, evitar o uso de calças muito apertadas, usar o papel higiênico sempre da frente para trás ao se limpar. Se o casal fizer sexo anal e quiser voltar à penetração vaginal, é preciso trocar a camisinha ou se lavar antes.

É importante procurar o médico  sempre que houver dor ao urinar.  Quando não tratada adequadamente, uma infecção na bexiga pode subir para os rins, e as complicações podem ser graves.

Sobre o autor

Jairo Bouer é médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e bacharel em biologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Fez residência em psiquiatria no Instituto de Psiquiatria da USP. Nos últimos 25 anos tem trabalhado com divulgação científica e comunicação em saúde, sexualidade e comportamento nos principais veículos de mídia impressa, digital, rádios e TVs de todo o país.

Sobre o blog

Neste espaço, Jairo Bouer publica informações atualizadas e opiniões sobre biologia, saúde, sexualidade e comportamento.