menu
Topo
Blog do Jairo Bouer

Blog do Jairo Bouer

Filhos do meio e caçulas podem ter menos educação sexual dos pais

Jairo Bouer

28/09/2018 17h41

Crédito: Fotolia

A ordem de nascimento pode ter um papel significativo na forma como adolescentes que têm irmãos recebem informações sobre sexo dos pais, principalmente os meninos. É o que mostra um estudo feito por pesquisadores da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, publicado na revista Sex Education esta semana.

Para chegar a essa conclusão, a equipe analisou dados na Pesquisa Nacional sobre Atitudes Sexuais e Estilos de Vida do Reino Unido, considerada uma das maiores e mais detalhadas sobre o tema naquele país. A amostra contou com cerca de 5.000 jovens de 17 a 29 anos.

Do total, 48% das garotas e 37% dos garotos primogênitos relataram ter tido discussões sobre sexo com pelo menos um dos pais por volta dos 14 anos de idade, contra 40% das filhas e 29% dos filhos que nasceram mais tarde.

Irmãos do meio e caçulas também foram mais propensos a dizer que achavam difícil falar sobre sexo com os pais, e a comentar que recebiam esse tipo de informação dos irmãos mais velhos.

Apesar dos resultados, os pesquisadores não encontraram uma associação significativa entre a ordem de nascimento e experiências sexuais, exceto que os garotos nascidos mais tarde apresentaram probabilidade maior de ter transado pela primeira vez antes dos 16 anos.

As diferenças foram marcantes entre os sexos: em todas as categorias (segundo filho, terceiro etc), os garotos relataram menor envolvimento dos pais na educação sexual do que as garotas.

Existe pouca pesquisa sobre como informações sobre sexo provenientes de irmãos mais velhos podem afetar a saúde sexual de um indivíduo. Mas, segundo o que os autores encontraram na literatura científica, quem tem irmão ou irmã sexualmente ativo tende a ter atitudes mais liberais em relação ao assunto. E irmãs mais novas de adolescentes que engravidaram tendem a ter a primeira relação sexual mais cedo.

É natural que ter irmãos mais velhos, ou mesmo amigos mais velhos, faz crianças e adolescentes terem contato com certos assuntos mais cedo. Se um jovem vê o irmão mais velho conversando com a namorada, ou nos amassos com ela, claro que vai pintar uma curiosidade.

Os autores do estudo acreditam que o cuidado com o que é ensinado para irmãos mais novos é algo que poderia fazer parte dos programas de educação sexual nas escolas. Isso poderia fazer muita diferença nas famílias em que os pais são mais ausentes ou não sabem como ter esse tipo de conversa com os filhos.

É muito comum que os pais tenham uma série de preocupações com o primeiro filho e relaxem um pouco com os outros, e não só no que se refere a educação sexual. Mas é bom que eles tenham consciência disso e não deixem de ter essas conversas com os filhos mais novos, ainda que eles pareçam mais bem informados que o primogênito.

Sobre o autor

Jairo Bouer é médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e bacharel em biologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Fez residência em psiquiatria no Instituto de Psiquiatria da USP. Nos últimos 25 anos tem trabalhado com divulgação científica e comunicação em saúde, sexualidade e comportamento nos principais veículos de mídia impressa, digital, rádios e TVs de todo o país.

Sobre o blog

Neste espaço, Jairo Bouer publica informações atualizadas e opiniões sobre biologia, saúde, sexualidade e comportamento.