PUBLICIDADE

Topo

Jairo Bouer

Ficar bêbado antes dos 15 anos pode dobrar risco de morte precoce

Jairo Bouer

09/06/2017 19h43

Uma pesquisa mostra que ter o primeiro episódio de bebedeira antes de completar 15 anos de idade aumenta o risco de uma pessoa morrer precocemente em 47%, ou seja, a propensão é praticamente o dobro. A conclusão é de pesquisadores da Universidade da Flórida.

Segundo eles, isso acontece porque começar a beber cedo eleva o risco de abusar da substância na vida adulta, o que acaba deflagrando doenças graves.

Estudos anteriores já associaram o início precoce do uso de álcool eleva a probabilidade de o indivíduo adotar comportamentos de risco e desenvolver transtornos mentais.

O trabalho atual analisou os hábitos de consumo de álcool de quase 15 mil adultos, que foram acompanhados por três décadas. Em comparação com indivíduos que nunca beberam, aqueles que começaram antes dos 15 anos tiveram risco 20% maior de morrer durante o estudo.

Cerca de 37% dos participantes que iniciaram o consumo de álcool precocemente apresentava alguma doença associada ao abuso da substância, em comparação com 11% dos que tiveram a primeira bebedeira mais velhos.

No final da pesquisa, 26% daqueles que começaram a ter episódios de bebedeira cedo tinham morrido, em comparação com 23% dos que começaram mais tarde e 19% dos que nunca haviam bebido. As informações são do jornal britânico Daily Mail.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Jairo Bouer é médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e bacharel em biologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Fez residência em psiquiatria no Instituto de Psiquiatria da USP. Nos últimos 25 anos tem trabalhado com divulgação científica e comunicação em saúde, sexualidade e comportamento nos principais veículos de mídia impressa, digital, rádios e TVs de todo o país.

Sobre o blog

Neste espaço, Jairo Bouer publica informações atualizadas e opiniões sobre biologia, saúde, sexualidade e comportamento.