Blog do Doutor Jairo Bouer http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br Neste espaço, Jairo Bouer publica informações atualizadas e opiniões sobre saúde, sexo e comportamento. Mon, 25 Sep 2017 22:30:51 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Mau humor é contagioso, mas depressão não é http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/25/mau-humor-e-contagioso-mas-depressao-nao-e/ http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/25/mau-humor-e-contagioso-mas-depressao-nao-e/#respond Mon, 25 Sep 2017 22:30:51 +0000 http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/?p=2382

Você pode se contagiar pelo mau humor dos seus colegas de escola, bem como pelo bom astral deles. Mas você não “pega” depressão de um amigo. Uma equipe de pesquisadores liderada pela Universidade de Warwick, no Reino Unido, chegou à conclusão após avaliar dados de mais de 2.100 adolescentes de escolas norte-americanas.

Eles criaram um modelo matemático para identificar o quanto componentes específicos do humor, como cansaço, sono e apetite, podem se espalhar nos círculos sociais desses jovens – cada integrante indicava quem eram seus amigos mais próximos. Também foram analisados sintomas típicos de depressão, como desamparo e perda de interesse.

Estudos anteriores já tinham confirmado que amizade e apoio social são fatores importantes para a prevenção de transtornos do humor em adolescentes. Da mesma forma, também já era sabido que o estado emocional de um indivíduo pode ser afetado pela expressão emocional de quem convive com ele.

A equipe constatou que sensações positivas e negativas são, de fato, “contagiosas”. Mas um amigo que esteja deprimido não tem “poder” suficiente para empurrar os colegas para baixo, de acordo com os resultados. Existe uma diferença grande entre estar triste, cansado, irritado ou de mau com o mundo e estar, de fato, com depressão.

Os pesquisadores também notaram que, a partir do momento em que um jovem decide se cuidar, dormir bem, fazer exercícios e buscar formas de gerenciar o estresse, ele não só beneficia a si próprio, como também exerce influência positiva sobre os amigos.

Para os autores do trabalho, publicado na revista Royal Royal Society Open Science, intervenções que estimulem os jovens a fazer mais amizades podem ser eficazes para a prevenção do transtorno, que afeta 350 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde.

]]>
0
Lady Gaga, Selena Gomez e a dor de conviver com doenças crônicas http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/22/lady-gaga-selena-gomez-e-a-dor-de-conviver-com-doencas-cronicas/ http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/22/lady-gaga-selena-gomez-e-a-dor-de-conviver-com-doencas-cronicas/#comments Fri, 22 Sep 2017 18:32:29 +0000 http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/?p=2375

Lady Gaga (à esq) e Selena Gomez (à dir) expõem seu drama (Reprodução/Instagram e Twitter)

Duas doenças crônicas que envolvem dor ganharam destaque nos últimos dias por causa de duas celebridades: a fibromialgia, que fez a cantora Lady Gaga cancelar a participação no Rock in Rio, e o lúpus, a doença autoimune que levou a atriz e cantora Selena Gomez a fazer um transplante renal. Figuras públicas, elas aproveitaram a oportunidade para chamar a atenção das pessoas para essas condições, que são pouco conhecidas e podem afetar indivíduos de todas as idades e de ambos os gêneros, apesar de mais comuns em mulheres.

Num documentário que estreia nesta sexta-feira (22) sobre Lady Gaga, a popstar aparece com dores no corpo, o sintoma mais característico dessa síndrome, que está presente em cerca de 2 a 3% da população brasileira e costuma surgir entre os 30 a 35 anos. Os pacientes têm a sensação de que tudo dói: os músculos, as articulações, a cabeça e às vezes até a pele. Além disso, há muita fadiga, que não melhora com descanso, e metade das pessoas desenvolve depressão ou ansiedade. Além de tomar os remédios prescritos pelo reumatologista, fazer exercícios de baixo impacto é fundamental para aliviar a dor, por mais difícil que seja a princípio.

A questão é que não existe um exame que determine o diagnóstico – ele depende apenas da queixa do paciente, como esclarece o presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia Georges Christopoulos: “Não há nenhum teste positivo”. Por isso, quem sofre de fibromialgia pode ouvir dos outros o velho clichê “está tudo na sua cabeça”. A própria cantora diz, na sua página no Twitter, que espera aumentar a consciência sobre a síndrome com o documentário, e quem sabe um pouco desse estigma diminua daqui pra frente.

Já no caso do lúpus, doença autoimune que afeta cerca de 65 mil brasileiros, algumas alterações características nos exames de sangue e urina ajudam a definir o diagnóstico, junto com os sintomas, que podem incluir cansaço, falta de apetite, febre baixa, dores fortes nas articulações, alterações neuropsiquiátricas e nas células do sangue, inflamação nas membranas que recobrem o pulmão e o coração, e também nos rins. Esse último é um dos sintomas que mais preocupa, pois pode ser assintomático no início, e acabar levando à insuficiência renal. O órgão deixa de funcionar e o paciente precisa fazer diálise ou receber um transplante, como foi o caso de Selena Gomez. A doadora foi uma amiga, a também atriz Francia Raisa – a foto de ambas, no hospital, foi publicada no Twitter.

Se enfrentar essas doenças é penoso para qualquer paciente, independente de sua condição socioeconômica, o desafio pode ser maior para quem depende de recursos do governo. Existem tratamentos medicamentosos eficazes para o lúpus disponíveis no SUS (Sistema Único de Saúde) e alguns, poucos, para fibromialgia, mas não sem obstáculos. Recentemente, muitos pacientes com lúpus ficaram sem um imunossupressor, o micofenolato, segundo a SBR. “Essa substância só é entregue em alguns locais; o Ministério ainda não distribui para todo o país”, comenta Georges Christopoulos. “Seria importante que os pacientes cobrassem do governo atualizações nos protocolos de tratamento e atualização das medicações fornecidas”, defende o reumatologista. Quem sabe a repercussão estimulada pelas celebridades sirva de ajuda.

]]>
1
Toque genital: cada mulher tem a sua preferência http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/20/toque-genital-cada-mulher-tem-a-sua-preferencia/ http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/20/toque-genital-cada-mulher-tem-a-sua-preferencia/#respond Thu, 21 Sep 2017 00:00:51 +0000 http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/?p=2373

Se boa parte dos homens é mais ou menos previsível no que se refere aos estímulos genitais, com as mulheres a coisa é bem diferente: cada uma gosta de ser tocada de um jeito para chegar lá. Essa diversidade foi ressaltada por pesquisadores da Escola de Saúde Pública da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, num artigo publicado no Journal of Sex & Marital Therapy.

As conclusões fazem parte do relatório OMGYes do Prazer: Mulheres e Toque. Para quem não sabe, a OMGYes.com é uma empresa focada em desmistificar o prazer sexual feminino. O site traz vídeos explícitos, mas educativos, sobre como as mulheres se masturbam e suas preferências sexuais. A iniciativa já foi elogiada por diversas revistas femininas, nos Estados Unidos, e até pela atriz Emma Watson. É preciso pagar (atualmente US$ 39), mas tem tradução para o português e até tutoriais que permitem simular o toque com o touchscreen – um verdadeiro “mapa da mina”.

Esse levantamento específico contou com mais de 1.000 mulheres de 18 a 94 anos. Elas relataram um reportório bem variado de preferências para o toque genital, com diferenças em relação a local, pressão, forma e padrão.

Para os pesquisadores, os dados derrubam a noção de que existem “movimentos sexuais” universais, ou seja, que funcionam para todas. Eles também destacam que, justamente por isso, os casais devem conversar sobre seus desejos e preferências.

Quase 75% das mulheres, porém, relataram que a estimulação do clitóris é necessária para facilitar o orgasmo, ou para deixá-lo mais prazeroso. Para 18%, a penetração vaginal sozinha não é suficiente para o orgasmo. Esses dados não chegam a ser novidade, mas é sempre bom lembrar essa história de orgasmo vaginal e orgasmo clitoriano foi desmistificada por estudos sérios.

A OMGYes diz que, atualmente, está fazendo pesquisas sobre prazer sexual na menopausa, na gravidez e no pós-parto, e deve trazer novidades em breve.

]]>
0
Quem tem rosto quadrado tem mais desejo sexual, sugere estudo http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/19/quem-tem-rosto-quadrado-tem-mais-desejo-sexual-sugere-estudo/ http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/19/quem-tem-rosto-quadrado-tem-mais-desejo-sexual-sugere-estudo/#comments Tue, 19 Sep 2017 20:33:46 +0000 http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/?p=2371

Homens e mulheres com rostos mais largos e curtos tendem a ser mais motivados para o sexo e a ter um desejo sexual mais forte do que aqueles que têm outros formatos. Pelo menos é o que sugere uma pesquisa canadense publicada na revista Archives of Sexual Behavior.

Pesquisadores da Universidade de Nipissing decidiram investigar se características faciais exercem algum papel nas relações sexuais e na seleção de parceiros e descobriram que sim, isso ocorre e tem a ver com a testosterona, hormônio predominante nos homens, mas também presente nas mulheres, e associado à libido.

Variações nesse hormônio, durante a puberdade, tendem a alterar as proporções faciais dos indivíduos. Estudos anteriores já tinham mostrado que homens de face quadrada tendem a ser percebidos como mais agressivos, mais dominantes, mais antiéticos e mais atraentes como parceiros sexuais, a curto prazo. Mas o estudo atual mostrou que a associação também pode valer para as mulheres.

A equipe realizou dois experimentos diferentes. No primeiro, 145 estudantes de graduação que estavam em relacionamentos românticos completaram questionários sobre seu comportamento interpessoal e desejo sexual. Os pesquisadores também usaram fotografias dos participantes para determinar a relação entre largura e altura facial.

O segundo estudo envolveu 314 alunos e foi uma versão mais extensa do primeiro estudo. Incluiu, ainda, questões sobre a orientação sexual dos participantes e infidelidade. E ainda avaliou o quanto como os participantes eram confortáveis ​​com o conceito de sexo casual, sem amor ou compromisso.

Em ambos os experimentos, homens e mulheres com rosto mais largo e curto foram associados a maior desejo sexual, e também mais propensos a praticar sexo casual e a ser infiéis. São necessários outros estudos para confirmar essa hipótese, mas ela é, no mínimo, curiosa.

]]>
1
Escrever antes de eventos importantes pode aliviar o estresse http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/18/escrever-antes-de-eventos-importantes-pode-aliviar-o-estresse/ http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/18/escrever-antes-de-eventos-importantes-pode-aliviar-o-estresse/#respond Mon, 18 Sep 2017 22:39:28 +0000 http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/?p=2367

Você costuma ficar nervoso ou nervosa demais antes de eventos importantes, como provas, entrevistas ou apresentações? Experimente sentar para escrever sobre seus sentimentos antes de enfrentar a situação. Uma pesquisa feita por psicólogos da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, mostra que a estratégia ajuda pessoas ansiosas a executar tarefas estressantes com mais eficiência.

O medo e a tensão costumam drenar a nossa capacidade cognitiva, ou seja, de usar o cérebro para fazer o que precisa ser feito. Quem é preocupado demais está sempre fazendo duas coisas ao mesmo tempo: tentando se acalmar e realizar a tarefa em si. A técnica chamada de escrita expressiva tem sido proposta há algum tempo, e o atual estudo mostrou que ela traz benefícios.

Os pesquisadores recrutaram estudantes de faculdade diagnosticados como ansiosos crônicos para passar por um teste no computador que demanda capacidade de processar informações precisas em pouco tempo – tipo da coisa que gera tensão. Antes da tarefa, metade do grupo escreveu sobre os sentimentos associados ao teste durante cerca de oito minutos. A outra parte foi orientada a escrever sobre o que tinha sido feito no dia anterior.

Todos os participantes foram submetidos a exames de eletroencefalografia durante o experimento. Os resultados comprovaram que os estudantes que escreveram sobre seus sentimentos foram mais eficientes, ou seja, utilizaram menos recursos cerebrais para executar o teste com rapidez e precisão. Em outras palavras, os dois grupos tiveram resultados parecidos, mas o da escrita expressiva “gastou menos combustível para chegar lá”, fazendo uma analogia aos automóveis.

O trabalho, financiado pelos Institutos Nacionais de Saúde, foi publicado na revista Psychophysiology.

]]>
0
Música ajuda a conquistar a garota? Veja o que mostra uma pesquisa http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/15/musica-ajuda-a-conquistar-a-garota-veja-o-que-mostra-uma-pesquisa/ http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/15/musica-ajuda-a-conquistar-a-garota-veja-o-que-mostra-uma-pesquisa/#respond Fri, 15 Sep 2017 22:25:29 +0000 http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/?p=2364

Por que as pessoas investem tanta energia, tempo e dinheiro em música? De acordo com muitos estudiosos, esse tipo de arte teria se desenvolvido através da seleção sexual. As habilidades motoras e cognitivas necessárias para fazer música seriam indicadores de bons genes e, assim, aumentariam o sucesso reprodutivo, assim como o canto de pássaros na época de acasalamento.

Com base nesse pressuposto, pesquisadores da Universidade de Viena, na Áustria, decidiram investigar se a música é capaz de interferir na capacidade de alguém se sentir atraído por outra. A equipe apresentou trechos de músicas instrumentais com temas variados para um grupo de indivíduos heterossexuais. Eles também foram expostos a fotografias de possíveis candidatos a parceiro ou parceira, retratados com uma expressão neutra.

Havia três grupos de participantes: mulheres na fase fértil (quando o comportamento de busca por parceiro parece ser mais ativo), mulheres fora da fase fértil e homens. Todos tinham preferências musicais consideradas semelhantes. Os resultados mostraram que as participantes do sexo feminino classificaram os rostos masculinos como mais atraentes e estavam mais dispostas a sair com os caras das fotos quando eram expostas a música antes de ver as imagens. A fase do ciclo menstrual não fez muita diferença. E as músicas mais estimulantes e complexas fizeram mais efeito. Já para os homens a estratégia não funcionou.

Os pesquisadores esperam, no futuro, averiguar se a exposição à música pode ser útil para compensar a ausência de algum atributo físico.  Outros estudos já mostraram que ela melhora a coesão social e também ajuda no relacionamento entre mãe e filho. Ainda existe um longo caminho a percorrer até que se comprovem esses conceitos. Mas, na dúvida, talvez valha a pena caprichar na trilha sonora antes de abordar uma garota.

]]>
0
Deixar o estresse transparecer pode ter lá sua utilidade http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/12/deixar-o-estresse-transparecer-pode-ter-la-sua-utilidade/ http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/12/deixar-o-estresse-transparecer-pode-ter-la-sua-utilidade/#respond Wed, 13 Sep 2017 00:19:52 +0000 http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/?p=2361

Você costuma coçar a cabeça ou outras partes do corpo quando está nervoso ou preocupado? Pois a coceira é um sinal de estresse para muitos primatas, inclusive humanos. E, segundo pesquisadores descobriram, a reação seria útil para evitar conflitos.

Uma pesquisa da Universidade de Portsmouth sugere que comportamentos associados à tensão podem ter evoluído como uma ferramenta de comunicação para ajudar na coesão social.

A equipe realizou observações detalhadas do comportamento de 45 macacos rhesus de um grupo de 200, em uma ilha em Porto Rico, ao longo de oito meses. Os pesquisadores descobriram que a mania de se coçar era frequente em situações de estresse, como diante da presença de um integrante do grupo com mais poder, ou de indivíduos que não eram do círculo social. E o comportamento reduziu significamente a probabilidade de o macaco em questão ser atacado.

De acordo com a equipe, a mania de se coçar seria compreendida pelo intruso como um sinal de estresse, fazendo com que esse desistisse de atacar, ou por achar desnecessário, ou por considerar que o estressado poderia reagir de forma imprevisível pelo excesso de tensão. A transparência, no final das contas, beneficiaria o grupo todo.

Os pesquisadores esperam que as descobertas levem a uma melhor compreensão do estresse e de como ele evoluiu nos seres humanos, além de ajudar no gerenciamento do estresse de animais de cativeiro. Os dados foram publicados no periódico Scientific Reports.

]]>
0
Um único dia de comilança pode elevar risco de diabetes, alerta estudo http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/11/um-unico-dia-de-comilanca-pode-elevar-risco-de-diabetes-alerta-estudo/ http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/11/um-unico-dia-de-comilanca-pode-elevar-risco-de-diabetes-alerta-estudo/#comments Tue, 12 Sep 2017 00:47:39 +0000 http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/?p=2359

Sabe aquele dia em que as pessoas decidem chutar o pau da barraca e comer tudo o que veem pela frente, seja numa aposta para ver quem come mais ou porque vão começar uma dieta no dia seguinte? Pois um único dia de exagero já pode aumentar o risco de desenvolver diabetes tipo 2, segundo um pequeno, mas preocupante estudo.

Pesquisadores da Universidade Loughborough, na Inglaterra, acompanharam 15 jovens adultos saudáveis antes e depois de um dia regado a salsichas, bacon, ovo frito, hambúrguer, queijo e cheesecake. Todos passaram por exames de tolerância à glicose antes e depois das comilanças. Os resultados mostraram que, depois de fazer as refeições ricas em calorias e gordura, eles apresentaram um fenômeno conhecido como resistência à insulina – o organismo não responde adequadamente ao hormônio, e o corpo precisa produzir uma quantidade maior para controlar o açúcar no sangue. Quando esse quadro se torna crônico, acaba resultando em diabetes.

Apesar de ser um estudo pequeno e limitado, os resultados, publicados no periódico Nutrients, mostram o quanto é importante que as pessoas tentem evitar exageros, mesmo em datas especiais. E também chama a atenção para a importância de se tratar adequadamente transtornos como o do comer compulsivo e a bulimia, que envolvem episódios de consumo extremo de calorias.

]]>
4
Pesquisa associa exposição a pornografia e início sexual precoce http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/08/pesquisa-associa-exposicao-a-pornografia-e-inicio-sexual-precoce/ http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/08/pesquisa-associa-exposicao-a-pornografia-e-inicio-sexual-precoce/#respond Fri, 08 Sep 2017 17:37:02 +0000 http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/?p=2357

Jovens que são expostos muito cedo a conteúdo pornográfico explícito são mais propensos a se envolver em comportamentos sexuais de risco precocemente. A conclusão é de um estudo apresentado esta semana na conferência anual da Sociedade Britânica de Psicologia.

Um total de 73 adultos com idades entre 18 e 25 anos participaram do estudo, sendo 42 homens e 31 mulheres. Eles responderam a questionários online sobre hábitos de consumo de pornografia e comportamento sexual. Com a internet e as tecnologias móveis, hoje ficou muito mais fácil para um adolescente acessar vídeos de sexo explícito.

A análise mostrou que os jovens expostos cedo a conteúdo pornográfico foram mais propensos a adotar comportamentos sexuais de risco mais cedo, o que significa transar sem camisinha e sem adotar outros métodos contraceptivos.

Os integrantes da pesquisa relataram ter sido expostos a material explícito já aos 12 anos de idade, em média, sendo que os comportamentos sexuais tiveram início em torno de um ano depois. A exposição contínua a esse tipo de conteúdo também indicou uma tendência maior, entre as garotas, a ter mais parceiros sexuais.

Os autores do trabalho, da Universidade de Buckingham, lembram que jovens de 15 a 24 anos estão entre a parcela da população mais exposta a infecções sexualmente transmissíveis no Reino Unido atualmente, uma realidade semelhante à brasileira.

]]>
0
Guarda compartilhada é a melhor opção para a criança, confirma estudo http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/06/guarda-compartilhada-e-a-melhor-opcao-para-a-crianca-confirma-estudo/ http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/09/06/guarda-compartilhada-e-a-melhor-opcao-para-a-crianca-confirma-estudo/#respond Wed, 06 Sep 2017 19:31:28 +0000 http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/?p=2355

Muitos casais que se divorciam têm optado pela guarda compartilhada dos filhos por achar que essa é a opção menos traumática para as crianças. E um estudo recém-publicado confirma que essa é a melhor solução.

Pesquisadores do Instituto Karolinska, na Suécia, acompanharam 3.656 crianças com idades entre 3 e 5 anos. Desse total, 3.369 viviam em famílias tradicionais; 136 tinham guarda compartilhada; 79 ficavam principalmente com um dos pais; e 72 conviviam exclusivamente com o pai ou a mãe.

Problemas comportamentais, de relacionamento e outros sintomas psicológicos foram avaliados a partir de questionários respondidos pelos pais e também por professores das crianças.

Os resultados revelaram que as crianças que vivem a maior parte do tempo ou exclusivamente com o pai ou com a mãe apresentam mais problemas psicológicos ou comportamentais do que aquelas que vivem em famílias tradicionais ou com guarda compartilhada.

Para os autores, quem tem contato diário com o pai e a mãe tem relacionamentos de melhor qualidade com ambos, e isso é o mais importante para a criança. Os dados da pesquisa, divulgados pelo jornal britânico Daily Mail, serão publicados no periódico Acta Pædiatrica.

]]>
0